Você sabe o que é um painel genético e qual a sua relação com o perfil genético?

Os testes genéticos vêm tendo cada vez maior destaque por suas importantes contribuições no conhecimento mais detalhado sobre a fisiologia humana.

De acordo com a escolha do painel genético, o profissional de saúde, responsável pela sua aplicação, tem em suas mãos uma importante ferramenta.

Com esse recurso, consegue-se identificar o perfil genético de cada paciente, ou seja, quais são as informações contidas em seu DNA.

Assim, pode-se traçar a melhor terapia, os melhores meios de se prevenir doenças, de um forma mais individualizada, de acordo com o organismo de cada um. 

Mas o que é um painel genético? Como eles identificam o perfil genético? Qual a relação deles com os testes genéticos tão comuns hoje em dia?

Para saber essas respostas e se informar mais sobre esse tema, não deixe de acompanhar este artigo. 

Um resumo breve sobre a nossa genética

Antes de entender o que é um painel genético, vamos entender de onde vem o conhecimento por trás dele.

No núcleo de cada uma de nossas células, o nosso DNA guarda todas as informações de como funciona e como pode vir a funcionar nosso organismo. Não à toa o DNA é chamado de “molécula da vida”: lá estão contidas as instruções para formar o nosso corpo, bem como fazer cada um dos nossos órgãos executar sua função.

A espécie humana tem no seu genoma (conjunto de todos os nossos genes) os dados necessários para formar cada um de nós, seres humanos. Desde como deve ser nossa visão, audição, os processos da digestão, a produção de células sanguíneas, o desenvolvimento neurológico… Enfim, está tudo em nosso DNA

No entanto, graças aos avanços na área de genética e biotecnologia (tendo como marco o Projeto Genoma Humano), conseguimos saber exatamente as partes do DNA que são comuns entre as pessoas e quais partes são diferentes. A construção do nosso organismo é igual, mas cada um traz suas particularidades. 

A cor da pele, a textura do cabelo, a altura, a estrutura muscular, o formato das mãos, o tamanho dos pés – tudo isso tem a ver com as informações que trazemos em nosso DNA, e que variam de pessoa para pessoa. Logo, podemos dizer que o DNA de cada ser humano é único!

O que é o Painel Genético?

As características que nos tornam únicos no mundo, como as mencionadas acima, são aquelas que conseguimos perceber de forma mais fácil e rápida. Porém, as características fisiológicas e metabólicas de cada pessoa nem sempre são aparentes, sendo necessários exames moleculares para revelá-las – é aí que entra o painel genético.

Para verificar e analisar as informações que trazemos em nosso DNA, identificando as variações das informações genéticas que cada um tem, realizam-se testes (ou exames) genéticos. E existem vários desses testes: os que indicam condições patológicas e os que inferem suscetibilidades a doenças. 

A opção de exames é ampla, e dentre eles podemos mencionar desde os testes nutrigenéticos (que indicam aspectos nutricionais que auxiliam na conduta dos profissionais de nutrição) até os farmacogenéticos (que indicam as respostas individuais aos medicamentos).

Mas para o desenvolvimento de cada um desses testes, há que se selecionar quais são os genes que revelarão as informações pretendidas. Por exemplo, para um teste nutrigenético, escolhem-se genes que se relacionam com a nutrição, como aqueles relacionados à produção de receptores de vitaminas (como o gene VDR, para a vitamina D), ou os responsáveis pela regulação da síntese de enzimas digestivas (como o gene MCM6, para a lactose).

Já para um teste genético que informa as estimativas de desenvolvimento de câncer, outros genes são abordados. Para indicar a resposta aos fármacos, ainda outra classe de genes será usada para compor o teste farmacogenético. Assim, para cada tipo de teste, existe um rol de genes que compõem um Painel Genético específico. 

Logo, o painel genético nada mais é que o conjunto de genes que farão parte de um teste ou exame genético específico. Logo, temos um painel genético para o teste nutrigenético, outro painel para o teste que identifica variáveis no DNA para os exercícios físicos, outro painel para o teste sobre características da pele, outro ainda para saúde mental, e assim por diante…     

E o Perfil Genético, o que é? E qual a relação com o Painel Genético?

Bom, agora sabendo o que é painel genético, fica mais fácil falar sobre o que é o perfil genético e como esses termos se relacionam. 

Como explicado, o DNA de cada pessoa contém certas variações (chamadas de polimorfismos) que individualizam cada um de nós. Assim, quando é realizado um teste genético, seja ele qual for, ele apresentará uma série de informações que dizem respeito àquela pessoa que se submeteu ao teste.  

Nesse caso, podemos dizer que essas informações constituem (total ou parcialmente) o perfil genético dessa pessoa. Ou seja, o perfil genético é determinado pelo conjunto de variações genéticas que uma pessoa carrega. Dessa maneira, um determinado painel genético (e consequentemente o teste genético que utiliza esse painel) revelará um perfil genético específico, particular para cada indivíduo.

Apesar de caber em qualquer situação em que se investiga os genes de uma pessoa, o termo perfil genético está muito associado a assuntos forenses, de tribunais. Quem nunca ouviu falar do famoso teste de paternidade? Ele avalia determinadas variações no DNA da mãe, do filho e do possível pai para verificar se o homem é realmente o genitor. 

Assim, tem-se o conjunto de variações no DNA (ou perfil genético) das três pessoas que devem ser investigadas para se chegar à conclusão sobre a paternidade. Isso também se revela muito importante para casos de desvendamento de crimes, como o estupro, em que se compara o DNA do material biológico (sêmen) com o DNA dos potenciais suspeitos. Se o perfil genético é compatível com algum deles, identifica-se aí o criminoso.

Importância do Painel Genético e do Perfil Genético na clínica 

Conforme o tipo de painel genético avaliado, o profissional que saiba como interpretar o laudo genético poderá se beneficiar das informações aí contidas, tornando a conduta mais assertiva. Com uma visão mais pormenorizada de cada indivíduo, consegue-se aprimorar procedimentos clínicos específicos para cada paciente.

Com o perfil genético individual revelado, pode-se, por exemplo, indicar meios de se atingir uma alimentação mais adequada para cada pessoa. Esse é o caso do teste nutrigenético. “De acordo com os polimorfismos identificados no teste, podemos tratar e, principalmente, prevenir deficiências nutricionais de forma extremamente individualizada”, explica a nutricionista Letícia Falquetti.

Da mesma forma, um educador físico poderá tirar proveito dos conhecimentos oriundos do perfil genético relacionado aos testes para fitness e esporte. Em outro caso, um dermatologista ou esteticista que use testes dermogenéticos terá mais dados para trabalhar com o tratamento e prevenção de certas características indesejáveis da pele. 

A tecnologia e o progresso na área de testes genéticos é bastante grande hoje em dia. O importante é saber qual laboratório pode providenciar um painel genético robusto de interesse, que entregue o perfil genético de acordo com cada área específica. Assim, consegue-se aliar experiência profissional com detalhamento individual para se conquistar uma conduta clínica mais efetiva, centrada na personalização. 

Receba em primeira mão nossos artigos e conteúdos sobre Nutrição e Genética