A cada dia o número de pessoas que pratica exercícios físicos regularmente, de atletas amadores e de alto rendimento aumenta gradativamente. Seja por hobbie, profissão, preocupação com a saúde e bem-estar físico e mental. Com isso, a procura por uma alimentação adequada que auxilie nestas atividades também cresce. 

Por isso, nesse artigo vamos abordar qual o peso que a alimentação exerce na vida do atleta e também qual a sua importância. Se você quer saber mais desse assunto, não deixe de conferir! 

Mas afinal, o que é nutrição esportiva? 

Antes de mais nada, vamos entender qual o papel do nutricionista esportivo na vida de quem pratica esportes.

O nutricionista que atende esse público tem como objetivo adequar a alimentação e suplementação de acordo com o tipo de modalidade esportiva, bem como a intensidade e duração dos treinamentos, a fim de fazer com que ele consiga um bom rendimento, recuperação e adequação às suas necessidades.

Isso também exige que o profissional tenha conhecimento da fisiologia e bioquímica dos exercícios físicos, pois dessa forma pode-se individualizar as prescrições e estratégias de acordo com a periodização de treinamento do atleta ou desportista.

Cada modalidade terá um cuidado e uma estratégia diferente, mas todas com o mesmo propósito: garantir que o atleta atinja suas necessidades nutricionais antes, durante e após o treinamento, consiga prevenir-se das lesões e garanta uma saúde adequada para manter seus treinos em alto nível. 

O que muda em relação aos não praticantes de exercícios físicos? 

Primeiramente, as necessidades de energia, carboidratos, proteínas e até a hidratação estarão aumentadas nos desportistas. Existem diretrizes específicas e embasadas cientificamente, nas quais o profissional se embasa para determinar as quantidades adequadas desses nutrientes nas refeições dos atletas. 

Além disso, micronutrientes (vitaminas, minerais e compostos bioativos) são componentes importantes para a realização de uma bom plano de treinamento. Eles fazem parte de vários processos metabólicos, da geração de energia e recuperação muscular. E quando estão em falta, sua carência é capaz de trazer prejuízos ao indivíduo tanto em seu rendimento, como em seu estado de saúde.

Por essa razão, é ideal que o planejamento alimentar seja personalizado para cada um, levando em consideração não somente o exercício que ele pratica, mas também as metas de desempenho que ele tem, preferências alimentares, período da competição que se encontra, e como ele responde a diferentes estratégias.

Uma alimentação alinhada com as especificidades de cada treino será capaz de fornecer substrato adequado e que atenda às demandas de energia para o esporte e para a função cognitiva. Isso contribui, e muito, para o sucesso do atleta e/ou do praticante de exercício físico regular. 

Abaixo listamos alguns dos principais itens em que a nutrição esportiva pode contribuir na vida do atleta.

Performance

Fator extremamente importante, principalmente para os indivíduos que têm o esporte como profissão. Atualmente, o nutricionista conta com diferentes estratégias nutricionais e suplementos que são capazes de contribuir para um aumento na performance esportiva. E mesmo que o efeito seja mínimo no tempo de prova, por exemplo, em uma competição isso pode fazer muita diferença.

No entanto, apesar das benesses, deve-se tomar cuidado ao mesmo tempo com o que se ingere. Haja vista que é uma área em crescimento constante, surgem no mercado diversos suplementos, muitos deles sem efeito ou comprovação científica. 

Alguns suplementos mais utilizados para o propósito “performance” (que têm embasamento científico) são: creatina, beta-alanina, bicarbonato de sódio, cafeína, suplementos proteicos e suplementos de carboidratos. Os suplementos e as marcas dos mesmos devem ser avaliados juntamente com o profissional de saúde responsável por recomendar a suplementação, levando em conta sua necessidade e aplicação na modalidade esportiva de interesse.

Além disso, modificações no plano alimentar quanto às quantidades de macronutrientes que devem ser consumidas, bem como a periodização da ingestão dos mesmos, também podem ser abordados buscando melhorias de performance. 

Mudanças na composição corporal

Apesar da ideia de que todo atleta não tem necessidade de controle e adequação da composição corporal, existem, sim, algumas situações em que isso precisa ser ajustado.

Dependendo da modalidade e do período da competição, algumas adaptações são necessárias com o intuito de contribuir para o sucesso do atleta, seja em ganho de massa muscular ou diminuição do percentual de gordura. 

A partir daí, uma alimentação equilibrada e ajustada de acordo com os treinamentos ajudará para que esse processo aconteça sem maiores prejuízos em seu rendimento. Ou seja, que não falte substratos para que o desportista continue fazendo seus exercícios e treinos na frequência adequada.

Recuperação muscular 

Sabemos que o exercício físico promove um aumento do estresse oxidativo no corpo. Assim, o período pós-exercício é uma fase muito importante, e faz parte do processo adaptativo ao exercício, para que ocorra os ganhos musculares e benefícios metabólicos.

No entanto, para pessoas que não têm um descanso e sono adequados, ou uma alimentação e hidratação suficientes, e tem um volume de treinamento excessivo, essa recuperação pode não ser efetiva, o que acaba aumentando os riscos de adquirir uma lesão. 

A nutrição pode entrar como um grande aliado nesse sentido, uma vez que se ajustada para as necessidades do atleta, será capaz de repor o glicogênio muscular e promover apropriada síntese proteica, auxiliando no processo de recuperação e prevenção de lesões. 

Pensando em todas as variáveis apresentadas, é essencial que a nutrição esportiva seja individualizada, e que se adeque à realidade e à rotina de cada atleta ou praticante de atividades físicas regulares. 

Além disso, deve-se fazer uma análise de todo o contexto e do custo-benefício para utilização de cada suplemento alimentar sugerido e da estratégia nutricional.

Uma abordagem individualizada e embasada será capaz de impulsionar o rendimento esportivo, trazer melhor qualidade nos treinamentos, proporcionar um dia a dia saudável e com maior bem-estar físico e mental. 

Referências: 

Thomas DT, Erdman KA, Burke LM. American College of Sports Medicine Joint Position Statement. Nutrition and Athletic Performance. Med Sci Sports Exerc. 2016 Mar;48(3):543-68. doi: 10.1249/MSS.0000000000000852.