Os genes GSTM1 e GSTT1 estão associados ao processo de detoxificação do nosso corpo. Confira!

GSTM1 e GSTT1

Nomes: Glutationa S-transferase Mu1 (GSTM1) 

e Glutationa S-transferase Theta1 (GSTT1)

Os genes GSTM1 e GSTT1 são responsáveis por enzimas hepáticas que têm ação importante na fase 2 de detoxificação, participando da metabolização de produtos tóxicos tornando-os menos ativos para que depois sejam adequadamente excretados do organismo na urina e nas fezes.

Estudos apontam o que parece óbvio: a deleção de qualquer um desses genes acarreta a deficiência das respectivas enzimas, GSTM1 e GSTT1, a ponto de comprometer a proteção detoxificadora do organismo.

Isso prejudica a metabolização complementar à fase 1 de detoxificação dos compostos poluentes que nos deparamos diariamente, sendo que alguns deles têm poder carcinogênico, sujeitando, assim, o organismo a riscos de desenvolvimento de câncer.

Genótipos possíveis para o gene GSTM1

Genótipo D

O alelo D indica a deleção do gene GSTM1, o que infere a ausência da enzima. Pessoas com esse perfil necessitam consumir maior quantidade de alimentos com pode detoxificador como os vegetais crucíferos. Estudos mostram que a deleção do gene também está associada à deficiência do organismo em vitamina C.

Genótipo I

O alelo I indica que o gene não está deletado e codifica a enzima detoxificadora, o que permite um processo de detoxificação adequado.

Genótipos possíveis para o gene GSTT1

Genótipo D

Assim como o GSTM1, pessoas com deleção do gene GSTT1 tendem a ter dificultado o processo de detoxificação, necessitando, portanto, de alimentos que corrijam essa deficiência. Para esse gene, a deleção também predispõe a uma maior necessidade de vitamina C.

Genótipo I

Igualmente ao GSTM1, pessoas que não possuem deleção do gene GSTT1 têm maior chance de possuírem um processo de detoxificação mais efetivo

REFERÊNCIAS

Schnakenberg et al. A cross-sectional study of self-reported chemical-related sensitivity is associated with gene variants of drug-metabolizing enzymes. Environmental Health, 2007.

Horska et al. Vitamin C levels in blood are influenced by polymorphisms in glutathione S-transferases. European Journal of Nutrition, 2011.

Yuan et al. Effects of GSTM1/GSTT1 Gene Polymorphism and Fruit & Vegetable Consumption on Antioxidant Biomarkers and Cognitive Function in the Elderly: A Community Based Cross-Sectional Study. PlosOne, 2014.

Receba em primeira mão nossos artigos e conteúdos sobre Nutrição e Genética