Gene: HLA

Nome: Antígeno Leucocitário Humano

Os genes HLA permitem que o sistema imunológico consiga diferenciar as células e estruturas que são do próprio organismo daqueles elementos que não fazem parte do organismo.

A Doença Celíaca (D.C.) é consequência de uma resposta imune que afeta o intestino delgado. Certas variações de genes HLA podem aumentar a reação imunológica ao glúten, expondo ao risco do desenvolvimento desta doença. Nessa condição, o consumo de glúten pode causar sensações desagradáveis, levar a sintomas indesejados e desencadear o desenvolvimento de outras enfermidades, como as que acometem pele, ossos, tireóide, fígado e o próprio intestino.

Genes relacionados e genótipos possíveis

Gene HLA-0 (DQ2.5)

Genótipo A/A ou A/G

Predispõe a maior risco do desenvolvimento de Doença Celíaca.

Genótipo G/G

Risco normal (ou comum) de desenvolver Doença Celíaca

HLA-3 (DQ8)

Genótipo C/C ou C/T

Predispõe a maior risco do desenvolvimento de Doença Celíaca.

Genótipo T/T

Risco normal (ou comum) de desenvolver Doença Celíaca

Gene HLA-4 (DQ2.2)

Genótipo T/T ou T/G

Predispõe a maior risco do desenvolvimento de Doença Celíaca.

Genótipo G/G

Risco normal (ou comum) de desenvolver Doença Celíaca

HLA-5 (DQ2.2)

Genótipo G/G ou G/A

Predispõe a maior risco do desenvolvimento de Doença Celíaca.

Genótipo A/A

Risco normal (ou comum) de desenvolver Doença Celíaca

O Gene HLA e a Doença Celíaca

Muitas pessoas têm uma sensibilidade aumentada ao glúten, ou seja, sentem mais intensamente as reações que o organismo desencadeia contra essa proteína.

Um dos efeitos mais marcantes é a inflamação intestinal, que leva a alterações nas vilosidades e criptas do intestino delgado. Como consequência, muitos nutrientes deixam de ser absorvidos, tendo como desfecho comprometimento de funções fisiológicas importantes.  

Indivíduos que desenvolvem a Doença Celíaca (DC) geralmente possuem polimorfismos de risco em genes que codificam proteínas da superfície dos leucócitos (HLAs), as quais reagem contra o glúten. Assim, expõe o intestino a situações que impedem seu funcionamento adequado.

Estudos apontam que a DC acontece em aproximadamente 1% da população mundial, podendo se originar durante a infância e também na vida adulta, não tendo uma fase específica para começar a se desenvolver. Aparece em menor frequência em homens que em mulheres, sendo que a grande maioria delas têm variações genéticas que predispõem à patologia, como as descritas acima.

Referências

Kaukinen et al. HLA-DQ Typing in the Diagnosis of Celiac Disease. The American Journal of Gastroenterology, 2002.

Fallang et al. Differences in the risk of celiac disease associated with HLA-DQ2.5 or HLA-DQ2.2 are related to sustained gluten antigen presentation. Nature Immunology, 2009. 

Caio et al. Celiac disease: a comprehensive current review. BMC Medicine, 2019.