Utilizar exames nutrigenéticos na prática clínica é uma excelente forma de personalizar o atendimento de pacientes, potencializando resultados e melhorando a adesão às consultas.

Porém, mesmo sabendo dos benefícios muitos nutricionistas sentem dificuldade ao abordar pela primeira vez os exames genéticos em suas consultas.  Por isso preparamos este artigo pensando em facilitar a abordagem dos profissionais que desejam trabalhar com esses exames.

Veja como introduzir os exames nutrigenéticos em sua consulta!

Os exames nutrigenéticos na prática clínica

Antes de tudo, precisamos contextualizar um pouco sobre o que são exames nutrigenéticos.

Exames nutrigenéticos, também chamados de testes genéticos de nutrição, são exames que identificam variantes no DNA com impacto direto na nutrição. Como essas variantes são diferentes entre as pessoas, isso indica por quê algumas pessoas respondem e outras não respondem a determinadas dietas.

A análise de genes associados a características nutricionais têm reflexo na alimentação de cada pessoa permitindo a preparação de planos alimentares individuais, conforme a necessidade de cada um. Se o objetivo é prevenir o aparecimento de doenças, mudar o estilo de vida, melhorando sua qualidade, os testes genéticos de nutrição fazem significativa diferença.

Trabalhar com exames nutrigenéticos demanda estudos em nutrigenômica e nutrigenética, além de conhecimento sobre as melhores formas de adequar a genética com as necessidades nutricionais de cada cliente.

No entanto, o que mais tem intimidado os profissionais que pretendem implementar esses testes na clínica, não são as horas de dedicação e estudo, mas sim o desafio de apresentá-los aos pacientes – muitos temem que isso pareça apenas uma venda, deixando um clima desconfortável ao abordar o tema.

Mas afinal, como introduzir os exames nutrigenéticos na prática clínica sem que isso pareça uma venda?

Separamos alguns passos que facilitarão a abordagem no dia a dia do seu consultório ou clínica.

Atente-se às queixas e às necessidades do paciente.

Geralmente, quando um paciente procura um nutricionista, ele já possui uma queixa. Fique atento e busque identificar a forma como o exame nutrigenético pode ajudar na resolução do problema apresentado por ele.

Certifique-se de que seu paciente entende o que é um exame nutrigenético.

Pergunte se ele já ouviu falar de exames genéticos nutricionais. Caso ele não conheça, explique com clareza o que são esses exames, quais os tipos, as suas aplicações e quais informações ele fornece. “Muitas pessoas não conhecem os testes genéticos e sua finalidade” – use isso como um gancho para introduzir na conversa e passar a importância do exame na nutrição personalizada.

Explique os benefícios do exame nutrigenético

Se você já trabalha, ou está começando a trabalhar com exames nutrigenéticos, você sabe o quão valioso eles são para a personalização de planos alimentares. Por outro lado, na maioria das vezes, os próprios pacientes não conhecem os benefícios de realizarem esse exame.

Comece falando sobre as características analisadas, como a identificação de predisposições a doenças (por exemplo: diabetes e hipertensão), as necessidades de nutrientes e as intolerâncias alimentares. Confira este artigo onde abordamos mais sobre os benefícios do exame e como eles podem enriquecer a prática clínica nutricional.

Deixe claro que se trata de um exame nutricional

Assim como os exames comuns realizados na área de nutrição (testes bioquímicos, por exemplo), os exames nutrigenéticos também fornecem informações muito importantes. Quando aliado a esses outros exames, os testes genéticos de nutrição possibilitam maior aprofundamento sobre o quadro do paciente, auxiliando na estruturação de uma dieta mais personalizada.

Encontre um laboratório de confiança

Existem diversos laboratórios que fornecem exames nutrigenéticos. Procure por aquele que melhor atenda suas demandas, e te ajude nos desafios diários enfrentados por quem trabalha com os testes genéticos de nutrição.

Na DGlab, nós proporcionamos todo suporte para o início do trabalho com esses exames. Clique aqui e veja como funciona nossa parceria.

Por que utilizar exames nutrigenéticos na prática clínica?

Tratar da saúde alimentar e traçar melhorias no rendimento esportivo são apenas duas das muitas atividades que o profissional da nutrição exerce no dia a dia. Para elaborar de forma mais assertiva o melhor plano alimentar de cada paciente, as ferramentas para a análise biológica individual são essenciais.

Os testes genéticos são excelentes para essa finalidade, pois permitem definir mais detalhadamente as necessidades de cada um. Por meio da identificação de variantes genéticas são verificadas as necessidades de vitaminas e resposta aos alimentos, podendo inferir até mesmo as predisposições em desenvolver problemas de saúde ao longo do tempo. Conhecendo a genética individual, pode-se regular a alimentação como forma preventiva a esses problemas, promovendo melhorias no bem-estar, na qualidade de vida.

Ao agregar essas importantes informações, o teste genético de nutrição ajuda a tratar cada caso com a especificidade e o detalhamento necessários que permitem a personalização do plano alimentar. Saiba mais sobre os testes.

Em outras palavras, o teste genético é uma valiosa ferramenta para a individualização de condutas alimentares, diminuindo a tentativa e erro das dietas, melhorando resultados a partir da nutrição.