No Brasil, segundo estudos feitos pelo Datafolha, estima-se que 35% da população brasileira sente algum tipo de desconforto após ingerir alimentos derivados do leite. Atualmente, testes genéticos de intolerância à lactose conseguem identificar a presença deste distúrbio.

Muita gente tem dúvidas em como funciona um teste genético. Quando escutamos a palavra “genética”, acreditamos que este teste é complexo e inacessível, mas não é. Neste artigo, separamos todos os detalhes do teste genético da DGLab, que identifica a intolerância à lactose.

O que é um teste genético de intolerância a lactose?

Resumidamente, um teste genético de intolerância a lactose é um exame que analisa o gene MCM6, responsável pela regulação da produção da lactase, enzima que realiza a digestão da Lactose no nosso organismo. Assim, de acordo com a variação deste gene identificada pelo teste genético, podemos produzir maior ou menor quantidade da enzima Lactase.

Como funciona o teste genético?

O teste é realizado através da analise de uma amostra de saliva. Assim, após a coleta da amostra a análise é feita em laboratório e o resultado é disponibilizado através de um laudo genético. Aqui na DGLab, o nosso teste de nutrição profissional além de analisar o gene MCM6, ainda faz a análise de outros 24 genes, dentre eles os relacionados com outros tipos de intolerâncias, obesidade, predisposições à diabetes, hipertensão e mais.

Quais as diferenças entre o teste genético e o exame de sangue?

Nos testes convencionais, o paciente precisa ingerir uma grande quantidade de lactose antes de realizar a coleta, o que causa uma série de desconfortos como: náuseas, vômitos, gases e diarréia. Logo, em pessoas mais sensíveis esses efeitos podem permanecer durante semanas, o que acaba atrapalhando o dia a dia da pessoa.

No teste genético não é necessário ingerir a lactose, basta apenas uma amostra de saliva para o laboratório conseguir fazer sua análise genética e aguardar os resultados. Ou seja, é mais simples, pois você coleta no conforto da sua casa e contém resultados mais precisos.

Comparativo de confiabilidade do teste genético de intolerância à lactose:

Existem várias formas de se identificar a intolerância à lactose, sendo uma delas o exame de sangue.

Estudos mostram que a sensibilidade e especificidade (parâmetros avaliados em testes clínicos) do exame de sangue são inferiores aos do teste genético.

Por esta razão, o teste genético é considerado atualmente um método confiável para inferir a intolerância primária à lactose.

1. A genetic test which can be used to diagnose adult-type hypolactasia in children.
Autor e ano: H. Rasinperä e colaboradores, 2004
Revista: Gut. 53(11):1571-6.